"O azeite não só enriquece os pratos, como também promove práticas sustentáveis e reforça o marketing territorial"

Fecha de publicación: 02/07/2024
Fuente: AGROTEC
O Congresso Mundial do Azeite (OOWC), que decorreu em Madrid, com o programa estabelecido, abordou uma parte importante para a comercialização do produto, como é a comunicação. Foi realizado o Bloco E, denominado "Comunicação e marketing", patrocinado pela MSC, onde especialistas internacionais de renome analisaram o trabalho que está a ser feito pelo sector a nível internacional para dar a conhecer o produto e os desafios que existem para o futuro. 

O congresso contou com a presença de Imene Trabelsi, diretora do Departamento de Promoção do Conselho Oleícola Internacional (COI), que proferiu uma palestra intitulada "O azeite e o turismo: Diversificação empresarial da indústria do azeite - Criação de valor acrescentado através da diferenciação e valorização". Durante a sua intervenção, Trabelsi sublinhou que "este tipo de turismo não só promove práticas sustentáveis, como também contribui significativamente para o bem-estar das comunidades locais e para o reforço do marketing territorial".
De seguida, Elvira Arzubialde e Ena Cabré, da VML Health, abordaram a questão da comunicação e de como as estratégias digitais e as narrativas da marca podem reforçar a presença do azeite nos mercados nacionais e internacionais. 
De seguida, a sócia fundadora da Castillo de Canena, Rosa Vañó, abordou a questão do marketing e da internacionalização, apontando os desafios e oportunidades que subsistem na exportação de azeite, destacando estratégias eficazes e práticas inovadoras para prosperar num ambiente altamente competitivo. 
Este bloco encerrou com a mesa redonda "Lições aprendidas de experiências reais, incluindo a sustentabilidade nas suas estratégias de marketing", moderada por Juan Antonio Polo, chefe do Departamento de Tecnologia do Azeite e Meio Ambiente do COI, com a participação de Juan Manuel Luque, diretor da Luque Ecológico; Mariu Luchetti, diretor de marketing e inovação da Deoleo e responsável pela sustentabilidade; Rafael Sánchez de Puerta, diretor geral da Dcoop; e Nicolás Tejada, diretor de Sustentabilidade e Meio Ambiente da ACESUR.
Os oradores concordaram que a sustentabilidade vai além da mera conservação ambiental; "é cuidado, empatia e um compromisso holístico com o bem-estar humano e os recursos naturais". Salientaram que está em constante evolução e que necessita de uma governação transparente e eficaz. Esta evolução para uma sustentabilidade mais holística e universal é um desafio constante, mas essencial, para as empresas e para a sociedade em geral.
Após o intervalo, os participantes ficaram a conhecer a forma como o azeite está posicionado no mercado global e integrado nas práticas culinárias contemporâneas, destacando a sua versatilidade e valor acrescentado, com o objetivo de promover uma cozinha amiga do ambiente. 
Para o efeito, o segmento F, denominado "Azeite e gastronomia" e patrocinado pelo Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação através da sua estratégia #alimentosdEspaña, contou com a participação de Santi Mas de Xaxàs, co-diretor executivo do Centro Mediterrânico de Torribera, em representação do Culinary Institute of America, e John Regefalk, chefe-investigador do Centro Culinário Basco.
Ambos sublinharam que, embora o azeite seja um produto tradicional, enfrenta desafios actuais que exigem novas abordagens. Sublinharam a importância de adotar novas tecnologias e práticas que aumentem a eficiência e melhorem a qualidade do produto de uma forma sustentável. Defenderam a integração de métodos inovadores em todas as fases da produção, da agricultura à comercialização, para responder às exigências do mercado atual. Além disso, foi sublinhada a necessidade de uma maior colaboração entre produtores, investigadores e decisores políticos para desenvolver políticas que promovam a sustentabilidade e a inovação no sector. A apresentação terminou com um apelo ao sector para colaborar e integrar o azeite de forma mais criativa e eficaz na gastronomia, garantindo a sua competitividade e relevância no contexto culinário global.

A segunda sessão terminou com a exposição dos cartazes premiados pelo Comité Científico do CAOA na primeira convocatória do concurso organizado para esta edição. Os vencedores foram "GEN4OLIVE. Mobilização de genótipos de azeitona através de actividades de pré-melhoramento para enfrentar os desafios futuros e desenvolvimento de uma interface inteligente para garantir uma disponibilidade de informação de fácil utilização para os utilizadores finais", por Óscar Montaño Ramos, Gestor de Projectos de I&D na BALAM Agriculture; e "Impacto do azeite virgem extra (EVOO) na função espermática em coelhos hipercolesterolémicos", por Estefanía Saez Lancellotti, Investigadora Sénior PostDoc no Hospital Universitário Virgen de la Victoria em Málaga.
Sob o lema "Prove, desfrute, é azeite", o CVO é organizado em colaboração com o AgroBank, o MSC, a CIA-Agricoltori Italiani, a John Deere, o Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação através da sua estratégia #alimentosdEspaña, a Interprofesional del Aceite de Oliva Español, a Junta de Andalucía através da sua marca "Gusto del Sur", Filiera Oleicola Olearia Italiana e "Campo y Alma", a marca de garantia de qualidade alimentar de Castilla-La Mancha, como patrocinadores Platinum; Grupo Interóleo, Büttner, Yara International, GEA, OLEOMAQ-Oleotec, AGQ Labs e Balam Agriculture como patrocinadores Ouro; a empresa Kubota, Hispatec, Asoliva, Todolivo e SGS como patrocinadores Prata; Agrocolor como outros patrocinadores. Agrotec, Voz do Campo, Puglia Live, Grupo Joly e Oleo são os Media Partners do OOWC.