Especialistas apresentam métodos para garantir a autenticidade do azeite

Fecha de publicación: 01/07/2024
Fuente: AGROTEC
O segundo dia do Olive Oil World Congress (OOWC) abriu com o segmento D: "Normas comerciais, qualidade e segurança", patrocinado por "Campo y Alma", a marca de garantia da qualidade alimentar de Castilla-La Mancha, onde Mercedes Fernández, chefe da Unidade de Normalização e Investigação do Conselho Oleícola Internacional (COI), sublinhou a necessidade de "os provadores de azeite serem diretamente formados de acordo com o método estabelecido para garantir avaliações precisas". 

Kamel Ben Ammar, diretor do Centro Internacional de Formação do ONH-OOC, sublinhou a importância da qualidade e da autenticidade. Wenceslao Moreda, chefe do painel de investigação do CSIC, salientou que "o futuro do azeite depende da nossa capacidade de inovar e adotar novas tecnologias que apoiem a qualidade e a autenticidade do produto". Por seu lado, Hermenegildo Cobo, diretor regional do ICEX em Sevilha, explicou os critérios de classificação dos azeites virgens e as suas implicações comerciais.
Em seguida, Tullia Gallina, investigadora da Universidade de Bolonha, abordou "O papel dos polifenóis no azeite virgem e as suas propriedades sensoriais", através dos resultados do oleumproject. Falou da importância da rastreabilidade na cadeia de abastecimento, promovendo a transparência desde a produção até ao consumidor final, e de como estas inovações não só melhoram a qualidade do azeite, mas também apoiam práticas sustentáveis na produção. Gallina concluiu apelando à indústria para abraçar estas inovações para garantir um elevado padrão de qualidade e autenticidade, beneficiando tanto os produtores como os consumidores e reforçando a confiança nos produtos no mercado.
Karolina Brkić, pesquisadora do Instituto Croata de Agricultura e Turismo, relatou sobre 'Aromas em azeites'. "A gestão adequada do amadurecimento da azeitona e das condições durante o processamento, como temperatura e tempo de malaxação, é essencial para preservar os atributos sensoriais e nutricionais do azeite ", disse ela.
Este bloco foi encerrado com a mesa redonda "A análise sensorial e a sua importância na determinação da qualidade do EVOO nos mercados comerciais", moderada por Yousra Antit, chefe do Departamento de Química da Azeitona do COI, com a participação de Plácido Pascual, chefe do painel de degustação do Laboratório Agroalimentar de Córdoba; Francisco de Paula, conselheiro técnico do Governo Regional da Andaluzia; Igor Calderari, diretor científico da Associação Italiana da Indústria da Azeitona (ASSITOL); e Mariana Matos, secretária-geral da Casa do Azeite de Portugal.
Os oradores concordaram que a análise sensorial permite identificar diferenças subtis no azeite que podem não ser detetadas pela análise química e que o setor está a trabalhar arduamente para garantir a qualidade e a autenticidade do azeite.
Sob o lema "Prove, desfrute, é azeite", o CVO é organizado em colaboração com o AgroBank, o MSC, a CIA-Agricoltori Italiani, a John Deere, o Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação através da sua estratégia #alimentosdEspaña, a Interprofesional del Aceite de Oliva Español, a Junta de Andalucía através da sua marca "Gusto del Sur", Filiera Oleicola Olearia Italiana e "Campo y Alma", a marca de garantia de qualidade alimentar de Castilla-La Mancha, como patrocinadores Platinum; Grupo Interóleo, Büttner, Yara International, GEA, OLEOMAQ-Oleotec, AGQ Labs e Balam Agriculture como patrocinadores Ouro; a empresa Kubota, Hispatec, Asoliva, Todolivo e SGS como patrocinadores Prata; Agrocolor como outros patrocinadores. Agrotec, Voz do Campo, Puglia Live, Grupo Joly e Oleo são os Media Partners do OOWC.