Mondego Agrícola 2022: as empresas presentes

Fecha de publicación: 14/09/2022
Fuente: AGROTEC
Foi na passada terça-feira, dia 6 de outubro, que Montemor-o-Velho recebeu o Mondego Agrícola, Feira das Culturas. No certame estiveram presentes inúmeras empresas do setor agrícola, muitas das quais a Agrotec teve oportunidade de falar. Conheça estas empresas e saiba o que têm para oferecer para a região do Baixo Mondego e não só.

Reinaldo Pereira – Bayer Campaign Activation para Portugal e Noroeste de Espanha
«A Bayer tem enorme gosto em estar aqui e participar em mais uma edição da Feira das Culturas – Mondego Agrícola 2022. Este tipo de eventos é para nós de extrema importância, pois é uma excelente oportunidade de estarmos próximos dos agricultores e apresentar-lhes soluções completas e integradas que a Bayer lhes proporciona. A Bayer é consciente dos enormes desafios com que se enfrentam os agricultores de todo o mundo. Num contexto extremamente difícil, é cada vez mais importante que o agricultor conheça a inovação e tecnologia Bayer, proporcionando-lhes ferramentas essenciais para que se possam adaptar rapidamente e vencer os novos desafios. Só assim o agricultor será capaz de produzir mais alimento, com melhor qualidade, obtendo maior rentabilidade, e oferecer toda a segurança alimentar ao consumidor, respeitando o meio ambiente. No caso da cultura do milho, a Bayer está presente neste certame com a suas novas variedades de milho Dekalb, tendo a oportunidade de demostrar novos híbridos perfeitamente ajustados à região e que desafiam os limites da produtividade. O facto de aliarmos a genética a outras soluções, tais como as nossas soluções herbicidas e ferramentas digitais como é o caso de Climate FieldView, possibilitam aos agricultores aumentarem a sua eficiência.  Por fim, mas não menos importante, fica aqui bem patente a importância que os nossos assessores Agronômicos representam para o setor em geral e muito em particular para os nossos agricultores. Uma vez mais, a afluência e dinamismo que estamos a ter hoje no nosso stand é disso revelador. É bonito ver a grande interação entre o Agricultor e os nossos acessores, sentir o reconhecimento que os agricultores têm por eles fruto do acompanhamento diário do nosso asseessor, pelo préstimo na tomada de decisões, decisões estas que vão ao encontro dos interesses do agricultor, da sociedade e do meio ambiente.»


Licínio Afonso – assessor agronómico da Bayer Dekalb
«Estamos ao lado dos Agricultores todos os dias e acompanhamos cada uma das suas parcelas. O nosso contributo vai muito para além da sementeira, estamos sempre junto dos agricultores, dando apoio a cada uma das suas decisões. Desde a oferta dos Seguros de Sementeira do nosso programa Activa Dekalb, passando pela recomendação dos melhores híbridos, passando pelo aconselhamento do melhor herbicida para o controlo das infestantes, até às chegarmos às colheitas, estamos sempre disponíveis e estamos sempre perto do agricultor. Os herbicidas que maioritariamente utilizamos aqui na zona do vale do Mondego é o Monsoon e o Laudis. São dois pós-emergentes que se revelam bastante ajustados para a realidade dos nossos campos. O Monsoon numa fase mais curta do milho, entre as três e as quatro folhas e o Laudis a partir das cinco folhas. Monsoon é um herbicida que para além de controlar as principais infestantes da cultura do milho também controla o “sorgo bravo “infestante que está a aparecer com alguma persistência nos campos. No portfólio Bayer/Dekalb temos variedades desde Fao 200 ao 600. De destacar as variedades DKC5144, DKC5741, DKC6092 e DKC6492. A variedade mais semeada no Vale Mondego foi o DKC6092 (Fao 500) destacando-se a sua produtividade e a excelente qualidade do grão. Esta planta para além destas características é uma planta de porte médio com boa resistência à acama. Para além da assessoria aos agricultores a Bayer/ Dekalb tem vários campos de ensaio onde vamos acompanhando a sua adaptação à zona e as produtividades daí resultando novas variedades.»


Nuno Botelho – gerente da Ventisec
«É extremamente importante estarmos presentes, sobretudo na nossa atividade que insere sobretudo na pós-colheita dos cereais, nos secadores, nos silos de milho e dos cascos de arroz. Estamos presentes através de uma empresa que o meu pai já iniciou há cerca de 30 anos e eu e o meu irmão esperemos dar continuidade a todo este percurso e é nesse sentido que queremos apoiar estas iniciativas que são extremamente louváveis. A máquina em si mantém-se as mesmas, agora o que tem vindo a evoluir é a tecnologia: ligações por wi-fi para controlar as máquinas, melhores consumos de energia, entre outros.»

Joaquim Machado – responsável de marketing da Nufarm Portugal
«A Nufarm é uma empresa especializada em produtos fitofármacos e estamos no Mondego Agrícola, nesta feira que está na terceira edição e é com muito gosto que estamos cá, numa zona de agricultura fundamental para Portugal, com culturas importantíssimas como o milho e o arroz, culturas que a Nufarm tem produtos adequados e uteis para os produtores.»

Carlos Osório – diretor técnico da Ucanorte ´
«Estamos a representar uma marca nova de milhos franceses, de uma cooperativa congénere da nossa, e começamos a alargar a nossa área de influência aqui também para esta região, através destes ensaios. Já é o segundo ano que estamos aqui e tem dado ótimos resultados, temos tido produções muito acima da média e é isso que queremos mostrar aqui aos produtores, que estamos em pé de igualdade e com um preço competitivo».


António Howorth – Campaign Specialist na Syngenta
«Estamos nesta zona do Mondego, que é uma zona importante a nível agrícola para Portugal, esta feira já temos participado nas outras edições e é uma zona importante para nós também da parte do milho e também da parte do arroz. Este ano estamos a apresentar algumas variedades que estamos a apostar que consideramos que são muito adequadas para esta região e também a nossa gama de herbicidas com que fizemos o tratamento com controlo de infetantes com dois produtos: o Lumax e o Camix, lado a lado, para comparar as eficácias que foram boas.»


Jorge Ramos Pinto – técnico comercial da Fertiprado
«Esta feira tem interesse para nós por causa do arroz e do milho. Muitas vezes fazem aqui rotação e a intenção da Fertiprado é promover o uso de misturas biodiversas ricas em leguminosas, que têm inúmeras vantagens. O que gosto de salientar é a fixação do azoto atmosférico que as leguminosas conseguem fazer. Isto é extraordinariamente importante em qualquer cultura, mas no caso do arroz talvez ainda mais, porque o azoto é tremendamente solúvel em água. Então, em rotação com a cultura do arroz, a água arrasta todos os nutrientes. Se tiverem cultivados, não só esses nutrientes não são perdidos, como até enriquecem o solo por causa da fixação do azoto. Temos aqui os sacos com as misturas das sementes da Fertiprado, principalmente o Rotarroz que é a mistura desenvolvida especificamente para esta área».

(em atualização)
Veja a 1ª parte do artigo aqui.